Pular para o conteúdo principal

PT agora guerreia com PT por presidência da Câmara...

Depois de fechar um acordo com o PMDB, o PT guerreia consigo mesmo para definir o nome do petista que irá presidir a Câmara a partir de 2011.

Travada nos subterrâneos da legenda, a disputa será içada à superfície numa reunião a ser realizada na tarde desta terça (7).

Sob a coordenação de José Eduardo Dutra, presidente do PT, os deputados da legenda vão explicitar suas diferenças num encontro de toda a bancada.

São quatro os candidatos: Cândido Vaccarezza (SP), Arlindo Chinaglia (SP), João Paulo Cunha (SP) e Marco Maia (RS).

Líder de Lula na Câmara, Vaccarezza frequenta o front com cara de favorito. A despeito disso, trabalha para evitar uma votação na bancada.

Vaccarezza tenta prevalecer no PT por acordo. Algo que o fortaleceria na negociação com os demais partidos do bloco governista e da oposição.

Longe dos refletores, o deputado costurou um acordo entre os dois principais grupos do emaranhado de correntes que coabitam o PT.

Vaccarezza integra a maior corrente –Construindo um Novo Brasil, o ex-Campo Majoritário do ex-todo-poderoso José Dirceu.

Acertou-se que a Mensagem ao Partido, grupo do secretário-geral do PT e futuro ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, indicará o futuro líder da bancada.
Já apalavrado entre os presidentes das duas legendas –José Eduardo Dutra e Michel Temer— o acerto ganhará nos próximos dias a formalidade de um documento.

Sem especificar nomes, a peça dirá que o PT exercerá a presidência no primeiro biênio da nova legislatura. E o PMDB dará as cartas nos dois anos finais.
Indicado pelo PMDB, o líder Henrique Eduardo Alves (RN) desistiu de reivindicar o comando no primeiro ciclo. Aguarda a decisão dos parceiros.

“Depois que o PT escolher o nome, nós vamos ajudar para que ele seja eleito como um presidente de toda a Casa”, diz Henrique.

Daí o esforço de Vaccarezza para unificar o PT. Imagina que, soldando o seu partido, tem chances de vingar no plenário sem disputas.

Fora do PT, conspiram contra a candidatura única PDT, PSB e PCdoB, legendas do pedaço mais à esquerda da coligação governista.

Torcem o nariz para a hegemonia exercida por PT e PMDB. O rodízio de biênios é um repeteco do que ocorreu na atual legislatura.

Nos primeiros dois anos (2007-2008), a Câmara foi presidida pelo petê Chinaglia. No derradeiro biênio (2009-2010), apitou o pemedebê Temer.

A “esquerda” tenta seduzir a oposição –PSDB, DEM e PPS— para a ideia de lançar um candidato alternativo.

Assim, embora favorito, Vaccarezza tem muito o que articular. Seu poder de fogo será maior se tiver atrás de si um PT minimamente unido.

Vencida a primeira fase, vai à negociação com as outras legendas enrolado na bandeira do respeito à proporcionalidade das bancadas.

Significa dizer que os cargos de direção da Câmara –na Mesa e nas comissões—serão rateados conforme o peso numérico de cada bancada.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Candidatos a professor temporário já podem realizar suas inscrições...

Já está disponível a inscrição para professor temporário para o estado do Rio Grande do Norte. 


O candidato que desejar concorrer a uma vaga deve preencher a ficha, fazer o pagamento da inscrição, efetuar o pagamento da taxa de inscrição e  entregar todos os documentos na respectiva DIRED do município para qual optou na Ficha de Inscrição, até às 13 horas, do dia 10 de maio de 2017.

Para ter acesso a inscrição CLICK AQUI.

Nova Cruz: Câmara Municipal mostra submissão ao executivo e aprova projeto que "enterra" direitos do professor...

Tudo dentro do Script.
Sabe aquele filme de terror que tem muita trama, mentiras, traições, mas todo mundo sabe como acaba. Foi assim com a votação do Projeto de Lei 006/2017 enviado pelo prefeito de Nova Cruz, Targino Pereira e aprovado pela maioria absoluta da Câmara Municipal de Nova Cruz.
A Sessão Ordinária desta sexta-feira (30), mas que teve sabor de 13, marcou o fim dos trabalhos do primeiro semestre do Edis, mas manchou de forma imensurável a educação do município de Nova Cruz de forma negativa.
Um resultado previsível que ficou evidente que aconteceria logo após a realização da audiência pública pela clara posição dos vereadores naquele momento.
Não adiantou mostrar as perdas para a categoria e para os alunos, o plágio evidente do anexo IV de um projeto baiano; o não exito na cidade de Monte Alegre - RN quando foi lá implementado; a falta no documento de 10 anexos, dentre muitos outros melíficos que estavam nas entrelinhas.
Valeu de fato a submissão da bancada governista ao Poder …

Política: O que muda para Nova Cruz com o governo Targino Pereira...