Para reajustar o Bolsa Família...

Infância paga a conta.

Depois de mostrar austeridade fiscal no corte de R$ 50 bilhões no Orçamento, a presidente Dilma Rousseff contrariou a orientação do corpo técnico do Ministério do Desenvolvimento Social e resolveu bancar um aumento maior para o piso do Bolsa Família. Com a decisão, o governo foi obrigado a enxugar ações sociais. Será reduzido o repasse para prefeituras e quatro programas terão os recursos diminuídos: combate à prostituição de crianças e adolescentes, erradicação do trabalho infantil, inclusão do jovem no mercado de trabalho e atendimento a adolescentes infratores.

O ministério apresentou à presidente dois cenários de reajustes. O primeiro sugeria um ganho real igual para todos os benefícios. O segundo apresentava uma correção diferenciada para as quatro faixas de benefícios. Dilma optou pela última proposta, mas bancou sozinha o aumento de 45,5% no valor destinado a crianças de até 15 anos. Ela entendeu que o Tesouro conseguiria sem esforço dar R$ 10 a mais no benefício mínimo, que acabou passando de R$ 22 para R$ 32.

DO BLOG:

Mesmo sendo um absurdo esses cortes nos programas de atendimento aos menores, a atitude tomada pela presidente é lógica dentro da linha de pensamento adotada desde o governo Lula.

O Bolsa Família foi, é,  e será, o maior cabo eleitoral do governo federal. A presidente não vai se desfazer dessa mina de votos. Ou vai?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Candidatos a professor temporário já podem realizar suas inscrições...

Nova Cruz: Câmara Municipal mostra submissão ao executivo e aprova projeto que "enterra" direitos do professor...