AF 447 da Air France dois anos depois...

As operações para retirar restos mortais de passageiros e parte da fuselagem do avião AF 447 da Air France, localizados no Oceano Atlântico no domingo, deverão começar no prazo de três semanas a um mês, afirmou nesta segunda-feira Alain Bouillard, responsável pelas investigações do acidente.

O avião Airbus da Air France caiu no oceano em 31 de maio de 2009 após decolar do Rio de Janeiro com destino a Paris com 228 passageiros a bordo. Somente cerca de 50 corpos haviam sido encontrados pouco após a catástrofe.

Nesta manhã, a ministra francesa dos Transportes, Nathalie Kosciusko-Morizet, disse que uma “grande parte” do avião havia sido localizada no domingo e que “corpos se encontram no interior da fuselagem e poderão ser identificados”.

“Uma licitação já foi lançada para escolher o navio e os equipamentos que serão utilizados para retirar os destroços e os corpos”, disse Morizet.

Alain Bouillard, do Escritório de Investigações e Análises (BEA, na sigla em francês), responsável pelas investigações do acidente, afirmou durante a coletiva que “vários corpos” foram encontrados, mas, como a ministra, não quis dar mais detalhes sobre o assunto, afirmando que as famílias das vítimas deverão ser informadas primeiro.

Segundo alguns especialistas citados pelo jornal Le Figaro, a baixa temperatura e a pressão da água, além da profundidade, de quase 4 mil metros, teriam permitido que os corpos fossem conservados.

A descoberta da fuselagem aumentou consideravelmente as esperanças dos investigadores de encontrar as caixas-pretas do avião, consideradas “fundamentais para determinar as causas do acidente”, disse Bouillard.

Mas mesmo que elas sejam encontradas, os técnicos do BEA não sabem ainda se as informações gravadas nas caixas-pretas (dados técnicos sobre o voo e conversas dos pilotos) teriam sido conservados e poderiam ser analisados.

Fonte: ùltimo segundo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Candidatos a professor temporário já podem realizar suas inscrições...

Nova Cruz: Câmara Municipal mostra submissão ao executivo e aprova projeto que "enterra" direitos do professor...