Pular para o conteúdo principal

Piso salarial do professores...

O STF ratificou o piso nacional para os professores em R$ 1.187,97 para uma carga horária de 40 horas. Enquanto o governo Rosalba Ciarlini faz jogo duro em sequer apresentar uma proposta para a categoria, o governo da Paraiba já garantiu que vai cumprir a Lei e pagar o piso salarial aos professores.

"O secretário de Educação do Estado, Celso Scocuglia, confirmou que vai pagar o piso nacional do magistério que estabelece vencimento básico de R$ 1.187,97 para o exercício de 40 horas semanais. Já o presidente da Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup), Rubens Germano, afirmou que apenas parte dos municípios poderá encontrar dificuldade para pagar o mínimo. A validade do piso nacional de Educação foi confirmada na última quarta-feira pelo Supremo Tribunal Federal (STF)"

O SINTE - RN divulgou no Extra-Classe da edição de março, 2011, a tabela remuneratória para o Magistério.

Acompanhe a sua categoria e os valores propostos: (Click na tabela para ampliar)

TABELA DE VENCIMENTOS DO MAGISTÉRIO - 30 HORAS

Tabela 1 - Professor - Parte Permanente


Tabela II - Professor - Parte Suplementar - 30 horas

Tabela III - Especialista em Educação - Parte Suplementar


Tabela IV - Tec. em Educação - Parte Suplementar


DO BLOG:

São cifras, que mesmo não sendo o ideal parece um sonho, mas caro colega professor e amigos leitores do blog, esses valores dificilmente serão pagos (para não dizer que nunca serão pagos) por vários motivos:

1 - Seria preciso uma mobilização muito  grande da categoria (algo que não vem acontecendo nos últimos anos);

2 - Em quatro audiências com o governo do estado o SINTE não conseguiu uma resposta positiva sequer.

3 - O estado vai alegar que não tem dinheiro para pagar esses salários e mesmo o Governo Federal está disponibilizando 1 bilhão de reais para ajudar estados e municípios para que possam pagar o piso, a liberação perpassa pelos seguintes pontos que os beneficiados com os repasses (governos e prefeituras) devem cumprir:

a) Aplicar 25% de suas receitas na manutenção e desenvolvimento do ensino;
b) Preencher o SIOPE (Sistema de Informação sobre Orçamento Público na Educação);
c) Cumprir o regime de gestão plena dos recursos vinculados para manutenção e desenvolvimento do ensino;
d) Dispor de plano de carreira para o magistério com lei específica;
e) Demonstração cabal do impacto da lei do piso nos recursos de estado ou município.

Espero que esteja errado em minha opinião e que consigamos uma mobilização em massa da categoria e se caso não seja atingido o objetivo  possamos fazer uma GREVE de verdade, sem fins políticos ou benefícios pessoais.

Comentários

  1. professor joão maria!
    também sou professor e como você citou na matéria acho impossível um dia nós ganharmos esse salário.infelizmente nossos governantes,um após outro,não tem compromisso algum com a educação,além do mais acho o nosso sindicato(sinte-rn)muito fraco,sem organização e sem força para arrancar deles o que a categoria espera e merece.além do mais o sindicato falha muito com a falta de informação aos professores,não dão as devidas informações a própria categoria.e nós,educadores,infelizmente,também somos muito fracos,temos medo de organizar um movimento grevista de vergonha que realmente pare o estado chamando a atenção das autoridades para a grande injustiça que a nós é dispensada.queira Deus que estejamos errados e que o governo rosalba pague o piso,incondicionalmente.parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  2. Professor João, também faço parte dessa categoria tão sofrida e estou indignada com a postura de nossa governadora que tem se mostrado inflexível.Penso que esta greve é legitimíssima e deveria contar com a adesão de todos da sociedade.Temos uma gorda carga tributaria em nosso país e péssimos serviços públicos.Acorda povo brasileiro!DINHEIRO tem só falta compromisso.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Nova Cruz: Câmara Municipal mostra submissão ao executivo e aprova projeto que "enterra" direitos do professor...

Tudo dentro do Script.
Sabe aquele filme de terror que tem muita trama, mentiras, traições, mas todo mundo sabe como acaba. Foi assim com a votação do Projeto de Lei 006/2017 enviado pelo prefeito de Nova Cruz, Targino Pereira e aprovado pela maioria absoluta da Câmara Municipal de Nova Cruz.
A Sessão Ordinária desta sexta-feira (30), mas que teve sabor de 13, marcou o fim dos trabalhos do primeiro semestre do Edis, mas manchou de forma imensurável a educação do município de Nova Cruz de forma negativa.
Um resultado previsível que ficou evidente que aconteceria logo após a realização da audiência pública pela clara posição dos vereadores naquele momento.
Não adiantou mostrar as perdas para a categoria e para os alunos, o plágio evidente do anexo IV de um projeto baiano; o não exito na cidade de Monte Alegre - RN quando foi lá implementado; a falta no documento de 10 anexos, dentre muitos outros melíficos que estavam nas entrelinhas.
Valeu de fato a submissão da bancada governista ao Poder …

Candidatos a professor temporário já podem realizar suas inscrições...

Já está disponível a inscrição para professor temporário para o estado do Rio Grande do Norte. 


O candidato que desejar concorrer a uma vaga deve preencher a ficha, fazer o pagamento da inscrição, efetuar o pagamento da taxa de inscrição e  entregar todos os documentos na respectiva DIRED do município para qual optou na Ficha de Inscrição, até às 13 horas, do dia 10 de maio de 2017.

Para ter acesso a inscrição CLICK AQUI.

Nova Cruz não tem como dar incentivo fiscal a empresa, diz Prefeito Targino Pereira, em matéria da InterTV...

A 2ª Edição do RN TV da InterTV Cabugi  apresentou matéria sobre o fechamento da fabrica da Alpargatas em Nova Cruz.
Dos pontos apresentados na matéria três chamam bastante atenção.
- O motivo alegado pelos empresários que o fechamento se deu devido a crise financeira e falta de incentivo fiscal contrapondo com a discordância do sindicato sobre esses argumentos.
- O posicionamento do prefeito Targino Pereira, confirmando que o município não tem como dar esse incentivo fiscal a empresa e admitindo que o município recebia pagamento de  uma taxa de licença para funcionamento. Sendo que ainda prometeu tentar suprir a ausência da Alpargatas com a abertura de outra empresa. ( Mas sem  referir se seria com incentivo ou não). 
- A negativa por parte do Secretário de Desenvolvimento Econômico do RN, Flávio  Azevedo, em razão dos motivos apresentados pela empresa afirmando  que os empresários  do grupo Alpargatas nunca solicitaram ao estado nenhum tipo de incentivo fiscal.

O fato é que hoje são 375 …