Educação: Gestão Democrática...

Como pensam os ex-gestores.


Sônia Ferreira e Marcos Guerra

 

Em tempos de eleições para diretores das escolas estaduais do RN, fizemos um “bate-bola” com os pioneiros nesse regime de Escola Democrática. O Professor, hoje aposentado, Marcos Guerra, que participou da primeira etapa desse processo, nos anos 80 quando o governo Geraldo Melo, realizou as primeiras eleições em fase experimental e a Professora Sônia Ferreira, eleita durante o governo Wilma de Farias na reafirmação definitiva das eleições diretas para gestão escolar.

Ambos, por coincidência foram indicados por políticos e depois eleitos pela comunidade escolar para gerenciar uma das maiores escolas de região agreste do estado do RN, a Escola Estadual Rosa Pignataro. Por isso, fizemos para os dois as mesmas perguntas a respeito dessas duas formas de chegar ao gerenciamento de uma unidade escolar.

1 - Vocês foram diretores eleitos pela comunidade escolar, mas também foram nomeados. Quais os dois sistemas houve maior facilidade de gerenciamento?

MARCOS:
Eu diria que os dois têm mais ou menos seu nível de gerenciamento igual, pois existem os pros e os contras. O ideal seria que o gestor tivesse autonomia própria o que não condiz com a realidade uma vez que sempre precisamos de órgãos como DIRED, e SEEC e algumas vezes pessoas se quer estão ligadas diretamente a estes órgãos, atropelando assim o que nós educadores tanto precisamos: democracia.
SÔNIA:
Administrar uma escola não é tarefa fácil ,mas é possível . O diretor de escola é antes de tudo um educador . Enquanto tal possui uma função primordialmente pedagógica e social , que lhe exige o desenvolvimento de competência ,técnica , política e pedagógica . Deve ser um articulador dos diferentes segmentos escolares em torno do PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO da escola.
Na minha realidade não senti tantas dificuldades , administrei um ano por indicação política e após minha eleição dei continuidade a minha proposta de trabalho que programei para continuar o trabalho dos demais gestores que passaram ,lógico que fiz algumas adequações , mais não descaracterizei as ações que deram certo . Um ponto que considero fundamental para melhor funcionamento da escola é a participação de todos nas tomadas de decisões , tanto pedagógico e administrativo , mesmo com a eleição direta , ainda é muito falho a participação de uma forma mais coesa de : Conselho, grêmio, pais e demais membros , os conselhos ainda não são atuantes.

2 -  Que relação vocês fazem sobre os benefícios e malefícios de uma eleição direta para diretores de escola?
 
MARCOS:
– Com relação aos benefícios é que você chega para gerenciar com bastante confiança, pois você sabe que foi escolhido por uma comunidade na qual está inserido, fazendo com que se sinta prestigiado, pois fio escolhido entre outros bons candidatos e que você consegui despertar entre seus colegas algo de interessante para a escola, que é o alvo principal. Com relação aos malefícios é que algumas pessoas que votaram em ti, acham que de alguma forma você deve um tipo de favor e conseqüentemente quer algo em troca e sem querer terminam interferindo no seu trabalho trazendo prejuízos para a escola e alguns que não votaram naquele determinado diretor acham-se desobrigado a desenvolver um bom trabalho. Felizmente isso acontece com uma enorme minoria dos que fazem a escola. Com alguns acordo em trocas de votos nos distanciamos da verdadeira democracia e passamos de alguma forma a viver uma pseudodemocracia.
SÔNIA:
Infelizmente ,ainda não sabemos escolher nossos representantes ,muitas vezes votamos pensando em algo que iremos ser beneficiados e nas eleições de escolas também é assim ,já presenciei candidato dizendo me ajude que lhe ajudarei . Ajudar em que sentido! A eleição direta é uma oportunidade que a comunidade tem para escolher seu representante para melhorar as condições físicas e pedagógicas da escola , vale salientar que para administrar uma escola é preciso votar no professor que se destaca no dinamismo , carisma , respeito e entende do pedagógico porque a parte mais difícil de cuidar é a pedagógica porque envolve professor , funcionário , família , alunos e a política . Sabe- se que muitas vezes o gestor não tem forças para ir de encontro com algumas atitudes da secretaria de educação ,a DIRED que muitas vezes não apóia no que diz respeito a lutar por melhorias para as escolas .

BENEFÍCIO - Considero um avanço a comunidade eleger seu representante e conhecer o projeto que aplicará durante seu mandato . Com a eleição direta se a comunidade se envolver com responsabilidade e responsabilidade a escola tende a avançar , agoraé preciso uma continuidade fazendo ajustes de acordo as necessidades.

MALEFÍCIOS : Falta de maturidade para entender que a eleição deve acontecer para melhorar o nível pedagógico e administrativo e não para certos privilégios ,outro ponto que merece destaque é que o gestor eleito deve esquecer o período de eleição que causa muitos transtornos e unir toda a comunidade para aplicar as metas que defendeu no período de campanha , muitas vezes o gestor eleito não tem visão e termina enfatizando a desunião e muitas vezes escanteando os bons profissionais e substituindo por estagiários ,nas reuniões que participei quando era diretora ouvi diretores dizer que iria trabalhar com quem somasse e não questionasse ,também tem gestor que se apropria da escola como se fosse dele ,esta atitude afasta a comunidade das decisões importantes, o aluno é importante para a escola ,agora se a equipe docente e administrativa não for valorizada a escola não cresce e alguns gestores preferem agradar os alunos para não perderem votos , agradar o aluno é promover um ensino de qualidade e uma escola acolhedora.

3 - Quais as dicas que vocês podem dar para os gestores atuais na sistemática de resolução de problemas intrapessoal e interpessoal no contexto escolar.
 
MARCOS:
No meu ponto de vista não existe dicas específicas, pois cada dia o gestor se depara com problemas e dificuldades diferentes, mas que são inerentes aos seu cargo.

Vou de alguma forma tecer alguns comentários:

1 – Trabalhe de forma honesta, sincera e amiga;
2 – Procure formar uma boa equipe constituídas por pessoas trabalhadoras, honestas, inteligentes e principalmente que sejam comprometidas. Muitas vezes o gestor escolhe um grupo de pessoas, mas que infelizmente não formam uma verdadeira equipe, por isso faça uma boa escolha.
3 – Desenvolver técnicas de escutar, mesmo que as vezes aquele determinado assunto não seja de tanto interesse para você ou para a comunidade escolar.
4 – Faça de cada dia um novo aprendizado.
5 – Prepare-se psicologicamente, pois, os percalços são muitos, mas quando os vencemos, um de cada vez, nos sentimos mais revigorados.
5 – Nunca tenha medo de problemas, pois se eles não existissem você não seria gestor.

Quero deixar bem claro que sou a favor da eleição direta para diretores, só precisamos escolher o melhor sem olhar a cor, o sexo, suas origens políticas ou religiosas, escolhermos o melhor não para mim, mas para a escola. Aproveito para pedir desculpas se de alguma forma ofendi alguém e desejar boa sorte aos novos e atuais gestores.

SÔNIA:
Para a eleição direta funcionar de forma eficaz se faz necessário  maturidade para trabalhar com as adversidades  , continuidade  ao projeto  político pedagógico ,a comunidade entender e colaborar com as ações que viabilizam o coletivo ,  valorização e respeito pelo profissional , viabilizar  os conselhos , grêmio e a família nas tomadas de decisões.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Candidatos a professor temporário já podem realizar suas inscrições...

Nova Cruz: Câmara Municipal mostra submissão ao executivo e aprova projeto que "enterra" direitos do professor...