Todos no combate a Dengue...

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) divulgou uma Nota Técnica com recomendações às secretarias municipais de saúde para ajudar no planejamento de ações de combate a dengue.

Em resumo, a nota técnica define 17 recomendações que devem ser seguidas pelos municípios:

a) Ter iniciado as atividades de Controle Vetorial, ou seja, primeiro ciclo de 2012 até nomáximo dia 05/01/2012;

b) Os municípios prioritários, que ainda não estão realizando LIRAa na rotina, deverão impreterivelmente fazer atualização do Reconhecimento Geográfico nos meses de janeiro e fevereiro e, a partir de março, implantar o LIRAa na rotina. No mês de janeiro, deverão realizar LIA seguindo as orientações da página 73 das Diretrizes Nacionais para Prevenção e Controle de Epidemias de Dengue.

c) Os imóveis que possuem cisternas externas para coleta e armazenamento de águas pluviais deverão manter todas as aberturas vedadas com tela que não permitam passagem de mosquitos e só tirar água com o sistema de bombeamento, pois do contrário este reservatório de água transformar-se-á num criadouro potencial para o Aedes aegypti, mosquito transmissor do dengue. As inadequações das cisternas terão que serem reclamadas aos responsáveis pela construção das mesmas, sendo de responsabilidade dos mesmos a solução definitiva dos problemas.

d) Mobilização da sociedade e servidores para eliminação dos criadouros preferenciais do Aedes aegypti;

e) Realizar 6 (seis) ciclos de tratamento de ações de controle vetorial e no mínimo 4 (quatro) LIRAs como forma de garantir diagnóstico e planejamento das ações com redução e/ou eliminação dos riscos de transmissão de dengue.

f) Coletar 100% de sorologia dos primeiros casos de cada bairro e/ou localidade e, após detecção de sorologias positivas, realizar o monitoramento da doença, coletando 1 (uma) amostra para cada 10 sintomáticos da mesma localidade e/ou bairro.

g) Realizar o monitoramento viral de forma a garantir oportunamente o conhecimento do sorotipo circulante, seguindo as orientações do manual do LACEN (Laboratório Central).

h) Priorizar nas reuniões das CIR do primeiro semestre a avaliação e adoção de medidas impactantes na rede de atenção a saúde.

i) Contratar e/ou designar 01 técnico de Nível Superior capacitado e com dedicação exclusiva para coordenar a área de Vigilância Epidemiológica, devendo apoiar e capacitar em serviço os demais técnicos da rede, garantindo ações contínuas, sistemáticas e oportunas.

j) Os municípios de que ainda não tem cobertura de 100% dos agentes comunitários de saúde, devem abrir edital de seleção e/ou concurso público, capacitando-os e ingressando-os no prazo máximo de 90 dias como forma de minimizar os efeitos dos vazios sanitários;

k) Disponibilizar para todos os profissionais de saúde do município a portaria GM/MS 104 de 25 de janeiro de 2011, garantindo os fluxos, notificações e investigações segundo as normas técnicas.

l) Realizar reuniões com todo o corpo técnico do município e estabelecer protocolos de atendimento e fluxo de referencia para os casos de pacientes com dengue, SCD e FHD, conforme normas disponibilizadas nos manuais do MS.

m) Detectar precocemente os casos, visando promover tratamento adequado e oportuno e reduzir a morbidade e, consequentemente, evitar o óbito.

n) Detectar precocemente o aumento de ocorrência da doença, para adoção de medidas de controle, evitando que processos epidêmicos se instalem.

o) Realizar investigação para identificar a área de transmissão e orientar ações integradas de bloqueio e controle vetorial.

p) Acompanhar a curva epidêmica, identificando área de maior ocorrência de casos e grupos mais acometidos, visando controlar a transmissão em curso.

q) Realizar investigação de óbitos suspeitos, visando identificar possíveis determinantes.

DO BLOG:

Essa ação da Sesap - RN merece todos os elogios pois anos a fio a doença se alastra por duas vias: Falta de cuidados da população e descaso do poder público.

Assim se faz necessário que o cidadão e cidadã tomem consciência da sua responsabilidade consigo mesmo e com os outros como também o poder público assuma a responsabilidade de realizar campanhas de prevenção e atue sistematicamente no combate ao mosquito.

Se essas ações proposta pelo governo do estado for executada pelos municípios com certeza teremos um 2012 muito menos árduo nos casos de Dengue.

Nova Cruz já ficou de fora do subsídio financeiro que o governo federal enviou para o combate ao mosquito. Agora esperamos que no mínimo a secretaria de saúde do município cumpra rigorosamente as recomendações da Sesap.

Para ler a nota técnica na íntegra CLICK AQUI.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Candidatos a professor temporário já podem realizar suas inscrições...

Nova Cruz: Câmara Municipal mostra submissão ao executivo e aprova projeto que "enterra" direitos do professor...