Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro 28, 2012

Professores aprovados no concurso do estado do RN

O Diário Oficial do Estado (DOE) traz hoje os aprovados no concurso da Secretaria Estadual de Educação e Cultura (Seec). Serão preenchidas 2.900 vagas para professores e 600 para o pessoal de apoio. A promessa do Governo do Estado é convocar todos os aprovados de uma só vez, em razão da falta desses profissionais nas escolas. A necessidade de nomeação imediata é latente, visto que as aulas na rede estadual começam no dia 1º de março, mas ainda existem unidades sem professor.

CLICK AQUI e confira os aprovados.

Para acompanhar seu desempenho individual CLICK AQUI.

Portaria de SEEC remove professores para docência...

O Diário Oficial do Estado (DOE) dessa terça feira (28), através da portaria nº 187 estabele que os professores que estão fora de regência retornem a exercê-la.
Dentre o ítens da Portaria o artigo 5º  estabelece o seguinte:

Serão remanejados para o exercício da docência em sala de aula os Professores dos componentes curriculares (habilitação) específicos, não readaptados que estão atuando em:
I – Biblioteca; II – Sala de Uso Múltiplo/Vídeo – TV Escola; III – Sala de Leitura; IV – Laboratório de Informática e Ciências da Natureza; V – Suporte Pedagógico.
Para ler a portaria na íntegra CLICK AQUI.

Piso do professores vai para 1.451,00

O Ministério da Educação (MEC) definiu em R$ 1.451 o valor do piso nacional do magistério para 2012, um aumento de 22,22% em relação a 2011. Conforme determina a lei que criou o piso, o reajuste foi calculado com base no crescimento do valor mínimo por aluno do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) no mesmo período.

Para estados e municípios que adotam jornada de 30h semanais a proporcionalidade leva o valor do piso para R$ 1.088,25.
A aplicação do piso é obrigatória para estados e municípios de acordo com a lei federal número 11.738, de 16 de junho de 2008. A Lei do Piso determina que nenhum professor pode receber menos do que o valor determinado por uma jornada de 40 horas semanais. Questionada na Justiça por governadores, a legislação foi confirmada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no ano passado. Entes federados argumentam que não têm recursos para pagar o valor estipulado pela lei. O dispositivo prevê que a União complemente o pagamento nesses casos, …