Pular para o conteúdo principal

PMDB reavalia aliança, diz Henrique...


O PMDB optou por reavaliar a aliança com a administração da governadora Rosalba Ciarlini. A informação é do presidente estadual da legenda, Henrique Eduardo Alves. De acordo com o parlamentar, a insatisfação de deputados da Assembleia Legislativa somada a uma falta de reciprocidade do Governo com os peemedebistas têm gerado seqüelas que precisam ser reparadas para evitar cisões mais graves. Ele enfatiza que não há uma boa articulação política por parte do Governo e que o debate com os aliados é inexistente. Henrique também criticou o fato de o  conselho político, criado ano passado, não haver se reunido uma vez sequer. “Vamos saber se o Governo vai continuar isolado, se vai querer ouvir os aliados, planejar o futuro ou se vai ficar nessa mesmice aí”, criticou o deputado.
O PMDB estadual já agendou um encontro para a segunda quinzena de março. Mas antes, a governadora Rosalba Ciarlini e interlocutores já devem atuar na condição de bombeiros pra apagar as chamas geradas a partir de descontentamentos dos parlamentares estaduais. O deputado Henrique Alves destacou que apesar da “insatisfação latente” e da “falta de diálogo interno, mais transparente e eficiente” do Governo, os peemedebistas estão dispostos a dialogar e buscar uma reaproximação com a gestão democrata. Um dos pontos criticados pelo presidente estadual do PMDB diz respeito a “falta de autonomia dos secretários” do estado. “Não é questão de recurso ou de cargo, mas de diálogo e parceria”.
Ele garantiu que embora o momento seja de realinhamento político e administrativo o PMDB não pensa, pelo menos no momento, na possibilidade de se reposicionar no cenário local e se aliar ao grupo de oposição. “Não seria correto, não teria lógica politica. Nós estamos na nossa casa tentando um caminho. Isso aí seria oportunismo”, destacou o parlamentar. Ele destacou que o PMDB já sabe o que quer, “resta saber qual o tipo de parceria o Governo quer com o partido”.
Diante das especulações germinadas a partir de conversas entre líderes e dirigentes partidários, no sentido de que a oposição visa atrair os peemedebistas para uma aliança com vistas a 2014, Henrique é enfático: “vamos tentar manter a parceria atual”. Ele afirma que a discussão sobre candidatura majoritária para 2014 não está em pauta no PMDB. “Não é hora”, disse. Henrique nominou a parceria com o Governo de “residual e estreita”. “Isso não é bom para nenhum dos lados. Isso precisa ser reavaliado”, reforçou. Ele destacou que o PMDB saiu grande na eleição municipal, com 52 prefeitos eleitos, e essa situação reforça a condição de grande e importante legenda no Rio Grande do Norte e no país.
Para o ministro da Previdência, Garibaldi Filho (PMDB), o momento dos peemedebistas, no Rio Grande do Norte é de independência. Ele evita declarações mais detalhadas sobre a tendência do partido. Mas também confirma que a definição sobre a permanência na base aliada será em março, durante reunião do diretório estadual da legenda.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Candidatos a professor temporário já podem realizar suas inscrições...

Já está disponível a inscrição para professor temporário para o estado do Rio Grande do Norte. 


O candidato que desejar concorrer a uma vaga deve preencher a ficha, fazer o pagamento da inscrição, efetuar o pagamento da taxa de inscrição e  entregar todos os documentos na respectiva DIRED do município para qual optou na Ficha de Inscrição, até às 13 horas, do dia 10 de maio de 2017.

Para ter acesso a inscrição CLICK AQUI.

Nova Cruz: Câmara Municipal mostra submissão ao executivo e aprova projeto que "enterra" direitos do professor...

Tudo dentro do Script.
Sabe aquele filme de terror que tem muita trama, mentiras, traições, mas todo mundo sabe como acaba. Foi assim com a votação do Projeto de Lei 006/2017 enviado pelo prefeito de Nova Cruz, Targino Pereira e aprovado pela maioria absoluta da Câmara Municipal de Nova Cruz.
A Sessão Ordinária desta sexta-feira (30), mas que teve sabor de 13, marcou o fim dos trabalhos do primeiro semestre do Edis, mas manchou de forma imensurável a educação do município de Nova Cruz de forma negativa.
Um resultado previsível que ficou evidente que aconteceria logo após a realização da audiência pública pela clara posição dos vereadores naquele momento.
Não adiantou mostrar as perdas para a categoria e para os alunos, o plágio evidente do anexo IV de um projeto baiano; o não exito na cidade de Monte Alegre - RN quando foi lá implementado; a falta no documento de 10 anexos, dentre muitos outros melíficos que estavam nas entrelinhas.
Valeu de fato a submissão da bancada governista ao Poder …

Política: O que muda para Nova Cruz com o governo Targino Pereira...