Santo Antônio/RN: PM mata namorada à pauladas...

Do portal Terra


Um policial militar foi preso em flagrante na madrugada desta quinta-feira após matar a pauladas a namorada em um quarto de motel em Santo Antônio, a 70 quilômetros de Natal (RN). O soldado Gleyson Alex de Araújo Galvão, 35 anos, confessou ter matado a advogada Vanessa Ricarda de Medeiros, 37 anos, após uma discussão por ciúmes. Um amigo do policial estaria no quarto no momento do crime e teria tentado evitar as agressões à mulher.

O crime aconteceu por volta de 1h30, em um motel de beira de estrada. Após ouvir os gritos de Vanessa, uma funcionária do motel ligou pra polícia, que encontrou o PM ensanguentado ao lado do corpo. No quarto, foi localizado também um pedaço de pau que teria sido usado para golpear a vítima.

O casal mantinha um relacionamento há cerca de três anos. Em depoimento, o policial afirmou que pediu a um colega para levá-lo, juntamente com sua namorada, ao motel. No local, os dois teriam dado início a uma discussão, supostamente motivada por ciúmes por parte da vítima. Durante a briga, o policial contou que agrediu a vítima, mas não deu detalhes sobre as circunstâncias.

O colega do policial, entretanto, deu outra versão para o crime. “A versão da testemunha que foi deixa-lo é bem diferente. A testemunha alega que passaram o dia bebendo, brincando. E já tarde da noite ele (Gleyson) convidou o amigo, juntamente com a companheira, para ir à praia de Pipa”, disse o delegado Everaldo Fonseca, responsável pela investigação. O amigo relata que guiava o carro acompanhado do casal quando, no meio do caminho, o policial pediu para que ele entrasse em um motel. “O PM disse: ‘rapaz, entra aqui no motel’. ‘Mas a gente não ia pra praia?’. ‘Sim, mas é rapidinho’”, relata o delegado, remontando o diálogo narrado pela testemunha.

“Quando chegaram no quarto do motel, ele (Gleyson) já foi logo se despindo e começou a agarrar a mulher, a acariciar, e ela sem querer. E o colega ficou sem entender nada, até porque ele estava também no quarto”, afirma o delegado. Diante das negativas da namorada, o policial, visivelmente embriagado, insinuou que a mulher e seu amigo teriam um caso.

Em meio às acusações, o policial passou a agredir a namorada e teria sido interpelado pelo colega, que entrou em luta corporal com o agressor. “Só que o PM conseguiu se soltar e disse que ia matar os dois. O amigo, sabendo que ele era policial e com medo que ele estivesse armado, saiu correndo do motel”, afirma o delegado.

Segundo Everaldo Fonseca, um funcionário do motel corrobora a versão do amigo do policial. “Essa também é a versão do funcionário do motel que ouviu a discussão. Ele ouviu os gritos de socorro da advogada, e ligou pra PM. Ele também ouviu um terceiro falando: ‘não faça isso com sua mulher!’”, afirma.

Preso em flagrante, o policial foi encaminhado a um quartel da PM em Nova Cruz. Ele deve ser indiciado por homicídio doloso, quando há intenção de matar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Candidatos a professor temporário já podem realizar suas inscrições...

Nova Cruz: Câmara Municipal mostra submissão ao executivo e aprova projeto que "enterra" direitos do professor...