#opovoquerfalar: ‘A lepra do PT’, por Gustavo Rocha...

Na idade média, o doente identificado com lepra recebia uma cerimônia religiosa, a ‘missa dos leprosos’, em que ganhava trajes especiais e um chocalho  para anunciar sua chegada a lugares públicos.

Nas recentes manifestações públicas ocorridas no país, verificou-se um pavor generalizado a toda e qualquer forma de militância que pudesse parecer ligada ao PT ou aos partidos historicamente cooptados por ele. Assim como leprosos, os militantes petistas seguem sendo abominados nas passeatas e nas redes sociais. Ainda tonto com a perplexidade dos fatos, o líder máximo do partido, José Dirceu, emitiu uma bula papal onde orientou os militantes do baixo e numeroso clero a chamarem de fascistas os sadios manifestantes que repudiam a carona da militância petista nos movimentos populares.

A presidenta Dilma foi a TV em cadeia nacional impingir aos “fascistas dos R$ 0,20”, a culpa pelas depredações e vandalismos ocorridos na esteira dos protestos. Ela ainda clamou aos governadores e chefes de poderes para o compartilhamento da lepra federal, ou seja: vamos todos morrer abraçados da enfermidade pois eu não quero morrer sozinha.

Assim como na idade média, camisas e bandeiras do PT são como chocalhos que anunciam a presença de leprosos nos organismos públicos e movimentos sociais. Embora a cura de lepra seja algo trivial na medicina moderna, os médicos Brasileiros parecem não estar dispostos a contribuir no tratamento da maladia. A desesperada solução encontrada é trazer médicos cubanos para a eutanásia dos cadáveres insepultos do PT que ainda perambulam pela opinião pública brasileira.
              
Acho que ouví um chocalho…. começou a feder…..  Tô fora!

Por: Gustavo Andrade da Rocha - Publicado no blog da Thaisa Galvão

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Candidatos a professor temporário já podem realizar suas inscrições...

Nova Cruz: Câmara Municipal mostra submissão ao executivo e aprova projeto que "enterra" direitos do professor...