Postagens

Mostrando postagens de Julho 24, 2013

Processo sobre hora-atividade contra o governo do RN pode ser acompanhado pela Internet...

Os professores poderão acompanhar ação movida pelo SINTE/RN pedindo o sequestro de 17 milhões do Governo do Estado para pagamento das horas-atividade. Para consultar o andamento do processo, os interessados deverão acessar “Consulta de Processos Online” no portal de Serviços do Tribunal de Justiça do RN. A petição intermediária foi protocolada no dia 18 de julho com as seguintes especificações: Número do protocolo: WNTL.13.70020187-7.  Número do processo principal: 0807104-58.2012.8.20.0001. Foro: Natal. Classe: Pedido de Diligências. Partes: Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Rio Grande do Norte (SINTE/RN).

Campus da UERN de Apodi passará por comissão...

O Conselho Universitário da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (CONSUNI/UERN) decidiu, após ampla discussão realizada nesta terça-feira (23), por 17 votos a 16, formar uma comissão para discutir e elaborar a minuta de resolução para a criação do Campus Avançado de Apodi. 
Durante a reunião, estiveram  presentes os vereadores de Apodi e o prefeito Flaviano Monteiro; os deputados federais Fábio Faria e Sandra Rosado; os deputado estaduais Larissa Rosado, Gilson Moura; Getúlio Rego e Kelps Lima; estudantes universitários e secundaristas; professores; o reitor Milton Marques de Medeiros e o reitor eleito e nomeado Pedro Fernandes. Além do vice-reitor Aécio Cândido e do vice-reitor eleitor eleito e nomeado Aldo Gondim.
O reitor Milton Marques de Medeiros presidiu a reunião e abriu espaço para que as autoridades e representantes dos estudantes se pronunciassem. Também foi aberto espaço para que os conselheiros pudesse se pronunciar e fazer questionamento às autoridades presentes.
A …

Hospitais regionais do RN podem fechar...

Geraldo Ferreira Filho considera que a saúde no Rio Grande do Norte passa por um processo de degradação da assistência, que supera a realidade dos outros estados. “Está na hora de uma cobrança maior e mais efetiva de priorização da saúde, porque o povo está desassistido e a linguagem do Governo é de desativação de unidades. A única proposta que vemos é de fechar seis hospitais regionais e isso vai promover o caos generalizado na saúde pública”, destacou.