SINTE cobra do governo veracidade nas informações...

De: www.sintern.org.br
A manchete de um reajuste de 91% enche os olhos de qualquer trabalhador, seria uma conquista sem precedentes se em quatro anos a categoria tivesses sido agraciada por essa benesse. Entretanto, analisemos o reajuste salarial durante o governo Rosalba: em 2011 a correção foi 11,85%, em 2012 de 22,22%, em 2013 de 7,97% e em de 2014 8,32% - que ainda não foi pago à categoria.
Nenhum economista faria a mágica de transformar isso no montante alegado pelo governo. A soma dos percentuais é 54,36%. O acumulado daria em torno de 65%, ou seja, bem distante dos tão falados 91%.
O governo Vilma/Iberê trabalhou em 2009 com complementação salarial, que é uma forma de abono. Em 2010, a correção do piso foi de 15,87%, dos quais 7,15% foi de correção aplicada pelo governo e o restante de abono. O governo Rosalba usou os recursos existentes para fazer a incorporação desses abonos aos salários em 2013.
Ao contrário do que a secretaria Betânia Ramalho diz, que corrigiu os salários em 2011 no percentual de 34%, o dinheiro já estava no bolso da categoria. Ainda assim, pegando o percentual do governo Vilma/Iberê mais os quatro anos de Rosalba a soma é de 70,23%. Tratando esse percentual de forma acumulada chega-se a aproximadamente 78%.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Nova Cruz: Câmara Municipal mostra submissão ao executivo e aprova projeto que "enterra" direitos do professor...

Candidatos a professor temporário já podem realizar suas inscrições...