Crise no orçamento do governo pode comprometer pagamento de salários...

Segundo a equipe econômica do governo do RN no primeiro semestre, a diferença entre o que era previsto no orçamento de 2014 e o que foi recolhido aos cofres públicos soma R$ 1,1 bilhão. A frustração de receitas já vem sendo alegada pelo Planejamento para justificar o atraso no pagamento de salários e a dificuldade em cumprir decisões judiciais e implantar acordos firmados com  categorias em greve.  Um deles, a implantação do reajuste do subsídio para policiais e bombeiros, tem prazo para o próximo mês.

Depois do não pagamento de 20% da antecipação do 13º não ter sido pago a folha de pagamento de julho já teve mais um adiamento.

O pagamento de 9.377 servidores ativos e inativos (9% da folha de pessoal) que recebem acima de R$ 2 mil líquidos e era previsto para o dia 8 de agosto, foi depositado apenas no dia 11.  De setembro de 2013 até junho deste ano, o Executivo dividiu a folha e pagava, no último dia do mês, os salários de servidores lotados nos serviços essenciais, além de  salários até R$ 5 mil líquidos.

 Acima de R$ 5 mil era pago no dia 10 do mês seguinte. A redução deste teto para até R$ 2 mil ampliou em mais de 6 mil o número de  servidores que receberam os vencimentos fora do mês.


Toda esse situação cria um clima de incerteza para o pagamento da folha de agosto e dos meses subsequentes e não há garantia alguma por parte da equipe econômica que o compromisso com os servidores serão cumpridos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Candidatos a professor temporário já podem realizar suas inscrições...

Nova Cruz: Câmara Municipal mostra submissão ao executivo e aprova projeto que "enterra" direitos do professor...