Pular para o conteúdo principal

Justiça declara ilegal greve de Agentes de Saúde e Endemias na cidade de Nova Cruz/RN...

A desembargadora Maria Zeneide Bezerra reconheceu a ilegalidade da greve dos Agentes de Saúde e Agentes de Endemias do Município de Nova Cruz e, consequentemente, todos os efeitos dela decorrentes, inclusive, cortes de salários, determinando, assim, que tais profissionais mantenham regularmente o funcionamento dos serviços, sob pena de multa diária no valor de R$ 2 mil, a ser cobrada diretamente na pessoa do presidente do Sindicato dos Agentes de Saúde do Estado do Rio Grande do Norte (SINDAS/RN). 

No entanto, a desembargadora indeferiu o pedido do Município para que os grevistas se abstenham de realizar protestos e manifestações em prédios públicos municipais, a exemplo da colocação de adesivos e faixas neste e nos próprios Postos de Saúde.  

No entendimento da relatora da demanda judicial, tal proibição acarretaria risco de cerceamento do direito de greve. Ainda assim, ela evidenciou em sua decisão que deve ser resguardado o livre acesso àqueles locais.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Candidatos a professor temporário já podem realizar suas inscrições...

Já está disponível a inscrição para professor temporário para o estado do Rio Grande do Norte. 


O candidato que desejar concorrer a uma vaga deve preencher a ficha, fazer o pagamento da inscrição, efetuar o pagamento da taxa de inscrição e  entregar todos os documentos na respectiva DIRED do município para qual optou na Ficha de Inscrição, até às 13 horas, do dia 10 de maio de 2017.

Para ter acesso a inscrição CLICK AQUI.

Política: O que muda para Nova Cruz com o governo Targino Pereira...

Prefeito de Nova Cruz Targino Pereira deverá restituir cofre público municipal em mais de 900 mil...

Atual prefeito da cidade de Nova Cruz é condenado pelo  TCE- PB, que  decidiu na última quarta-feira (12), por maioria, que o então ex-prefeito de Tacima, Targino da Costa Pereira Neto, deve restituir aos cofres municipais importância superior a R$ 900 mil, em razão de irregularidades que, em meio a outras, incluíram gastos públicos com campanha eleitoral e festa da vitória, folha de pessoal de fazenda particular, uso indevido de recursos do Fundeb e pagamentos por obras não executadas.  A decisão encontra-se no site do TCE do Estado da Paraíba que relata condenações a outros gestores públicos do estado. 
Para ler direto do Site do TCE CLICK AQUI. Fonte: Ascom/TCE-PB