Pular para o conteúdo principal

Em obediência ao decreto 018/16 secretárias municipais de Nova Cruz rescindem contratos...

Conforme as determinações e os prazos exigidos pela Lei 101/2000- Lei de Responsabilidade Fiscal quanto ao equilíbrio financeiro no último ano de mandato, o prefeito de Nova Cruz, Cid Arruda Câmara, mantendo o equilíbrio  que foi peculiar durante todo o mandato, através do decreto 018/2016 publicado no D.O.M. em 10/10 estabelece que todas as secretarias, entre outra determinações, que a contenção das despesas com custeio da máquina administrativa seja em pelo menos quarenta por cento, em todos os órgãos da administração municipal.

Dentre outros procedimentos estão ocorrendo a rescisão contratual de vários servidores de contratos temporários.

O D.O.M trás em sua edição 876 de 14 de outubro, várias dessas ações das Secretarias Municipal de Saúde e Educação.

Para ver edição CLICK AQUI.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Candidatos a professor temporário já podem realizar suas inscrições...

Já está disponível a inscrição para professor temporário para o estado do Rio Grande do Norte. 


O candidato que desejar concorrer a uma vaga deve preencher a ficha, fazer o pagamento da inscrição, efetuar o pagamento da taxa de inscrição e  entregar todos os documentos na respectiva DIRED do município para qual optou na Ficha de Inscrição, até às 13 horas, do dia 10 de maio de 2017.

Para ter acesso a inscrição CLICK AQUI.

Política: O que muda para Nova Cruz com o governo Targino Pereira...

Prefeito de Nova Cruz Targino Pereira deverá restituir cofre público municipal em mais de 900 mil...

Atual prefeito da cidade de Nova Cruz é condenado pelo  TCE- PB, que  decidiu na última quarta-feira (12), por maioria, que o então ex-prefeito de Tacima, Targino da Costa Pereira Neto, deve restituir aos cofres municipais importância superior a R$ 900 mil, em razão de irregularidades que, em meio a outras, incluíram gastos públicos com campanha eleitoral e festa da vitória, folha de pessoal de fazenda particular, uso indevido de recursos do Fundeb e pagamentos por obras não executadas.  A decisão encontra-se no site do TCE do Estado da Paraíba que relata condenações a outros gestores públicos do estado. 
Para ler direto do Site do TCE CLICK AQUI. Fonte: Ascom/TCE-PB