Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março 4, 2016
De: www.ultimasdarepaticao.com.br
O padre José Adelson, pároco da Igreja Matriz da cidade de Santo Antônio/RN, figura na lista de servidores da Assembleia Legislativa do RN. É sabido de todos que há muitos anos ele é servidor daquela casa legislativa. Contudo, é interessante registrar que, concomitantemente com o cargo na AL, ele já foi direto da 3ª Dired, localizada em Nova Cruz e Secretário de Administração em Santo Antônio na gestão do ex-prefeito dr Gilson. 

Atualmente, Adelson é Secretário de Educação e Cultura em Brejinho. Ou seja, estava e continua em situação de acumulação irregular de cargos públicos. Resta saber como ele consegue dar expediente em todos esses locais, praticamente, ao mesmo tempo… Ah, já ia esquecendo que ele também possui um CNPJ ativo em seu nome (13.607.271/0001-51), provavelmente um escritório de contabilidade já que ele é contador registrado no CRC/RN.
Este fato por si só não seria ilegal se ele não fosse servidor público. Mas, cabe ao TCE verificar se há …

Lula é levado coercitivamente pela Polícia Federal...

A Operação Lava Jato chegou à 24ª fase na manhã desta sexta-feira (4). Segundo a Polícia Federal (PF), a operação ocorre na casa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em São Bernardo do Campo e em outras cidades de São Paulo, do Rio de Janeiro e da Bahia. Nesta manhã, policiais contiveram várias brigas entre manifestantes nas proximidades da residência de Lula e em outros locais. O Instituto Lula também é alvo da ação da PF.
A Operação Lava Jato teve início em março de 2014 e investiga um esquema bilionário de lavagem de dinheiro e evasão de divisas na Petrobras.
Segundo a PF, o ex-presidente é alvo de um dos mandados de condução coercitiva. Segundo André Perecmanis, professor de Direito Penal da PUC-RJ, em entrevista à GloboNews, a condução coercitiva é quando a pessoa é obrigada a comparecer frente a uma autoridade policial. No entanto, ela pode não depor, pois ainda tem o direito de ficar em silêncio.
Perto das 8h40, Lula foi levado para o Aeroporto de Congonhas, em um carro des…

Publicada no Diário Oficial resolução que extingue cargos e funções na Assembleia...

A Resolução 003/2016, aprovada à unanimidade na sessão de quinta-feira (03) na Assembleia Legislativa, foi publica na edição desta sexta-feira (04), no Diário Oficial do Estado. A resolução permite extinguir, imediatamente, 345 cargos em comissão de Agentes Legislativos (em três níveis) e 979 funções gratificadas de atividades de níveis básico, médio e superior, totalizando 1.324 cargos e funções gratificadas. A resolução da Mesa Diretora também transforma parte dos cargos e funções extintos em 632 novos cargos, reduzindo as extinções, para 692 cargos e/ou funções. “A medida reduz os cargos em quase 700, conforme pronunciamento que fizemos no início da semana conforme e no Planejamento Estratégico aprovado em fevereiro de 2015, avançando em etapas de modernização, buscando a eficiência e a funcionalidade de ações e processos, com a maior e redobrada atenção à transparência”, salientou o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PMDB). Aprovada pela unani…

Justiça declara ilegal greve de Agentes de Saúde e Endemias na cidade de Nova Cruz/RN...

A desembargadora Maria Zeneide Bezerra reconheceu a ilegalidade da greve dos Agentes de Saúde e Agentes de Endemias do Município de Nova Cruz e, consequentemente, todos os efeitos dela decorrentes, inclusive, cortes de salários, determinando, assim, que tais profissionais mantenham regularmente o funcionamento dos serviços, sob pena de multa diária no valor de R$ 2 mil, a ser cobrada diretamente na pessoa do presidente do Sindicato dos Agentes de Saúde do Estado do Rio Grande do Norte (SINDAS/RN). 
No entanto, a desembargadora indeferiu o pedido do Município para que os grevistas se abstenham de realizar protestos e manifestações em prédios públicos municipais, a exemplo da colocação de adesivos e faixas neste e nos próprios Postos de Saúde.  
No entendimento da relatora da demanda judicial, tal proibição acarretaria risco de cerceamento do direito de greve. Ainda assim, ela evidenciou em sua decisão que deve ser resguardado o livre acesso àqueles locais.