Pular para o conteúdo principal

Prefeito de Nova Cruz suspende realização do concurso público...

Em um de seus primeiros atos, para ser mais preciso no segundo decreto do mandato, o prefeito de Nova Cruz Targino Pereira da Costa Neto dá um canetaço e suspende a realização concurso público.



No documento publicado nesta segunda feira (09) no Diário Oficial dos Municípios do RN o prefeito alega contenção de gastos. Argumento que não tem muita sustentação uma vez que quanto há um concurso público as despesas com pessoal só começam a serem efetivadas após as nomeações dos aprovados, dai como explicar os vários contratos  logo na primeira semana de gestão do prefeito em órgãos  setores do município?

Outro ponto que fica sem explicação é que quando da nomeação de um concursado em geral se dá para ocupar uma vaga de uma pessoa que está exercendo função por meio de contrato temporário, então assim não há aumento nas despesas

Mas na verdade essa é uma tônica do Brasil, ao invés de estudar para se qualificar e mais conveniente se aliar a algum político que ai sim se vai ter um "trabalho" temporário garantido.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Candidatos a professor temporário já podem realizar suas inscrições...

Já está disponível a inscrição para professor temporário para o estado do Rio Grande do Norte. 


O candidato que desejar concorrer a uma vaga deve preencher a ficha, fazer o pagamento da inscrição, efetuar o pagamento da taxa de inscrição e  entregar todos os documentos na respectiva DIRED do município para qual optou na Ficha de Inscrição, até às 13 horas, do dia 10 de maio de 2017.

Para ter acesso a inscrição CLICK AQUI.

Política: O que muda para Nova Cruz com o governo Targino Pereira...

Prefeito de Nova Cruz Targino Pereira deverá restituir cofre público municipal em mais de 900 mil...

Atual prefeito da cidade de Nova Cruz é condenado pelo  TCE- PB, que  decidiu na última quarta-feira (12), por maioria, que o então ex-prefeito de Tacima, Targino da Costa Pereira Neto, deve restituir aos cofres municipais importância superior a R$ 900 mil, em razão de irregularidades que, em meio a outras, incluíram gastos públicos com campanha eleitoral e festa da vitória, folha de pessoal de fazenda particular, uso indevido de recursos do Fundeb e pagamentos por obras não executadas.  A decisão encontra-se no site do TCE do Estado da Paraíba que relata condenações a outros gestores públicos do estado. 
Para ler direto do Site do TCE CLICK AQUI. Fonte: Ascom/TCE-PB