Pular para o conteúdo principal

Prefeitos Brasil afora cortam gastos para driblar a crise...

Para driblar a crise econômica o poder público tem que cortar na própria carne para evitar que as contas entrem no vermelho.

Prefeituras de todo o Brasil têm tomado iniciativas para diminuir custos básicos, desde economia com água, luz, telefone e combustível, cancelamento de eventos festivos, até demissão de servidores e redução de expediente e salários.

Vejam algumas medidas tomadas pelos prefeitos Brasil afora:

Em Diamantina, no Vale do Jequitinhonha, as unidades das administrações direta e indireta do município funcionam em horário reduzido, das 12h às 18h, desde o início desta semana. Antes, o expediente começava às 9h.

O prefeito de Itajaí adotou várias medidas: Exoneração de até 20% do quadro de servidores comissionados;  Redução de 30% nos subsídios do Prefeito e de até 20% no subsídio e vencimentos de servidores em cargos comissionados; Devolução dos automóveis a serviço do Prefeito e do Vice;Cancelamento e devolução dos celulares funcionais.


Os chefes dos executivos municipais das capitais estudam a redução de secretarias inclusive cargos comissionados, devem ser realizados. Estão nessa situação os prefeitos de Manaus, Recife, Salvador, Boa Vista, Vitória, Campo Grande, Belém e Macapá, todos reeleitos em outubro. Apenas Carlos Eduardo (PDT), de Natal, e Carlos Amashta (PSB), de Palmas, disseram que não vão reduzir o número de pastas porque já realizaram cortes de despesas em suas gestões atuais. 

O prefeito de Touros decidiu demitir, e não preencher enquanto não houver recuperação nas receitas, 499 cargos comissionados e contratos que não tenham estabilidade.

Em Nova Cruz, o prefeito decretou "emergência administrativa" por 90 dias e realizou contratação de duas bandas por 55 mil reais para uma noite de festejos.

Municípios e o FPM:


Dependentes do FPM, cidades pequenas são mais prejudicadas

Pequenas cidades que dependem quase que exclusivamente do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) são as que mais têm MAIS NECESSIDADE de  reduzir gastos, principalmente quanto esse repasse vem zerados, como foi o caso dos seguinte munícipios neste início de ano.

Afonso Bezerra, Alto do Rodrigues, Antônio Martins , Areia Branca , Arez, Baraúna, Caicó, Canguaretama, Caraúbas, Carnaúba dos Dantas, Carnaubais, Encanto, Extremoz, Felipe Guerra, Florânia , Galinhos, Goianinha, Gov Dix-Sept Rosado, Grossos, Guamaré, Ielmo Marinho, Ipanguaçu, Ipueira,Itajá, Jandaíra, Janduís, Japi, Jardim do Seridó, João Câmara, Lagoa Dantas, Lagoa Nova, Lagoa Salgada, Marcelino Vieira, Martins, Maxaranguape, Montagens, Nova Cruz, Parnamirim, Pedra Grande, Pedro Avelino, Pedro Velho,Pendências, Pureza, Rio de Fogo, Santana do Matos, São José de Mipibú, São José do Campestre,São Miguel do Gostoso, São Rafael, Serra de São Bento, São Rafael, Serra de São Bento, Sítio Novo, Taipú, Tibau o Sul, Touros e Umarizal.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Candidatos a professor temporário já podem realizar suas inscrições...

Já está disponível a inscrição para professor temporário para o estado do Rio Grande do Norte. 


O candidato que desejar concorrer a uma vaga deve preencher a ficha, fazer o pagamento da inscrição, efetuar o pagamento da taxa de inscrição e  entregar todos os documentos na respectiva DIRED do município para qual optou na Ficha de Inscrição, até às 13 horas, do dia 10 de maio de 2017.

Para ter acesso a inscrição CLICK AQUI.

Política: O que muda para Nova Cruz com o governo Targino Pereira...

Prefeito de Nova Cruz Targino Pereira deverá restituir cofre público municipal em mais de 900 mil...

Atual prefeito da cidade de Nova Cruz é condenado pelo  TCE- PB, que  decidiu na última quarta-feira (12), por maioria, que o então ex-prefeito de Tacima, Targino da Costa Pereira Neto, deve restituir aos cofres municipais importância superior a R$ 900 mil, em razão de irregularidades que, em meio a outras, incluíram gastos públicos com campanha eleitoral e festa da vitória, folha de pessoal de fazenda particular, uso indevido de recursos do Fundeb e pagamentos por obras não executadas.  A decisão encontra-se no site do TCE do Estado da Paraíba que relata condenações a outros gestores públicos do estado. 
Para ler direto do Site do TCE CLICK AQUI. Fonte: Ascom/TCE-PB