Reforma da Previdência: Planalto admitem que não têm o número necessário para aprovar a medida ...

A comissão especial da Reforma da Previdência deve aprovar a proposta do governo uma vez que são escolhidos a dedo pelo executivo federal, mas que a situação pode se reverter quando a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) for ao plenário.

Pois os  513 deputados e 81 senadores, que têm pretensões eleitorais deverão pensar e repensar suas posições sobre a reforma proposta pela equipe de Henrique Meirelles.

Uma reforma que fixa idade mínima de 65 anos, superior à expectativa de vida em vários estados do Brasil, iguala as condições de homens e mulheres, a despeito das desigualdades de gênero, e impõe a necessidade de 49 anos de contribuição para a obtenção do benefício integral, mas não toca em privilégios de determinadas castas do funcionalismo, como os militares, além, é claro, dos políticos.

A discussão decisiva se dará no plenário e o governo tem sério risco de não atingir os 308 votos necessários para aprovar a PEC,  hoje, os próprios aliados do Palácio do Planalto admitem que não têm o número necessário para aprovar a medida.

Nesse cenário atual o governo já admite só colocar a PEC de Reforma da Previdência para analise e votação no plenário da Câmara no segundo semestre de 2017.

Então mais uma vez cabe a população continuar mobilizada contra essa reforma absurda e "riscar" de qualquer possibilidade de voto em 2018 naquele(a) parlamentar que se posicionar a favor. Seja do partido que for.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Candidatos a professor temporário já podem realizar suas inscrições...

Nova Cruz: Câmara Municipal mostra submissão ao executivo e aprova projeto que "enterra" direitos do professor...