Postagens

Mostrando postagens de Setembro 27, 2017

MPRN expede recomendações para combater nepotismo em quatro municípios...

Imagem
O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), por intermédio da Promotoria de Justiça de São Paulo do Potengi, expediu recomendações aos prefeitos dos municípios integrantes de referida comarca (Santa Maria, Riachuelo, São Pedro e São Paulo do Potengi) para combater a nomeação de parentes para o exercício de cargos públicos em comissão, função de confiança ou função gratificada, ou seja, o nepotismo. A prática é uma forma de favorecimento que viola princípios da moralidade, impessoalidade e eficiência no serviço público.

O MPRN recomendou aos prefeitos que efetuem, no prazo de cinco dias, a exoneração de todos os eventuais ocupantes de cargos comissionados, função de confiança ou gratificada, que detenham relação de parentesco consanguíneo, em linha reta ou colateral, ou por afinidade até o terceiro grau com o próprio chefe do Executivo, vice-prefeito, secretários, procurador-geral do Município, chefe de gabinete ou qualquer outro cargo comissionado do poder público municipal, as…

Perspectiva...

Nos corredores da governadoria é nítida a animação dos deputados aliados, apostando que o jogo deverá virar e Robinson Faria chegará 2018 com chances de viabilizar uma candidatura à reeleição vitoriosa depois da aprovação dos recursos da ordem de R$ 680 milhões pela assembleia legislativa.

Em carta, Palocci pede desfiliação do PT: 'Somos um partido ou uma seita guiada por uma pretensa divindade?'...

Imagem
O ex-ministro Antônio Palocci enviou nesta terça-feira (26), uma carta ao Partido dos Trabalhadores (PT), em que pede a desfiliação da legenda. No documento de quatro páginas, ele descreve os motivos pelos quais resolveu deixar o partido que ajudou a fundar. A carta é endereçada à presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann.

Veja a carta na íntegra:

Fonte: G1



Ética e competência: não se cria moralidade por legislação...

Imagem
Será que ainda há o que falar sobre corrupção?  Será que a anunciada reforma política e as mudanças na legislação resolveriam este grave problema?           Não creio.           Mudanças na legislação somente são eficientes quando um sentimento popular intenso e permanente as sustenta.           A lei, para regular o comportamento, tem que corresponder aos costumes, valores e princípios de uma comunidade. Quando resultam apenas do raciocínio político e da mera intenção, não conquistam aquela legitimidade que se impõe moralmente aos cidadãos, e que atemoriza os que pensam em desrespeitá-las.           Uma lei que proíbe soar a buzina em frente a um hospital sempre será aceita pela totalidade dos motoristas, e, quem a descumprir, vai enfrentar a manifesta disposição das pessoas para puni-lo pelo delito que praticou.           Porque isto é assim? Porque há um forte sentimento coletivo por trás daquela lei, a exigir respeito para com os que sofrem internados no hospital.           Quem desresp…